História I Wanna Be Myself - skz (2T) (2022)

025. campo de força

— Ei! Pai, pai! — ChangBin gritou, descendo as escadas com pressa e o Kim mais velho o olhou, estava sentado no sofá vendo TV. — Pai!

— Fala, criança. — murmurou e ele pulou ao seu lado, apoiando as mãos em sua coxa para ter toda a atenção do pai. — O que foi, Soninho?

— Tenho uma pergunta! Um pouco... delicada talvez... vergonhosa. — o maior fez carinho em seus cabelos e deu um beijo em sua testa.

— Pode perguntar, bebê.

— Como foi... a sua primeira vez? — indagou de forma envergonhada e SeungMin riu alto.

— ChangBin!

— É sério, pai! Eu preciso saber!

— Não precisa! — respondeu e ele bufou, cruzando os braços. — Tudo bem... minha primeira vez foi horrível, foi estranha e... eu não gostei nenhum pouco.

— Eu tava perguntando... como foi sua primeira vez com um homem? — o mais velho riu de novo e acariciou sua bochecha.

— Ok, eu entendi o que quer saber... minha primeira vez assim foi com o seu pai, foi... foi bom, foi muito bom e ele fez eu me sentir muito bem. — coçou a nuca ao perceber seu olhar tão curioso. — Isso é realmente vergonhoso, ChangBin! Eu não devia falar mais do que para usar camisinha nessas conversas! Minha mãe fez isso!

— Fez de um jeito errado então, você nem obedeceu ela. — cerrou os olhos e SeungMin riu alto, dando um tapinha em sua cabeça. — Pai... você é a única pessoa que eu tenho para falar sobre isso!

— Tá bom! O que quer saber?

— Dói?

— Sim, muito. Bom... por que está fazendo essas perguntas do nada? — indagou para fugir de mais questões vergonhosas. — Você e o Kai querem fazer isso?

— Sim.. não, ele queria antes. — suspirou e abraçou o próprio corpo. — Mas acho que não estou preparado para isso, a gente é meio novo e...

— Você está com medo não está? — o viu assentir, seu jeito bastante incomodado com aquilo.

— E se eu for mesmo igual a mãe da Lili? Depois que a gente fizer isso ele vai terminar comigo? Eu... não sou bonito e meu corpo não é padrão como o do Chan ou da SoYoon... ele pode não gostar e...

— Seu corpo é perfeito, ChangBin... e eu sei que o Kai não é assim, você também sabe... você está muito inseguro por não ter experiências, certo? — ergueu seu queixo e o menor mordeu o interior das bochechas. — Seu namorado também é virgem, vocês dois não tem experiências e sei que o Kai nunca te forçaria a esse tipo de coisa...

— Mas... pai...

— ChangBin, me ouve, eu posso dizer que já vivi bastante coisa, eu estou ficando velho e sei do que estou falando.

— Você não é velho.

— Meu amor. — deu um beijo em sua testa e segurou seus ombros. — Você não pode forçar a si mesmo a fazer isso se tem certeza que não está preparado... você é muito novo, tem todo tempo do mundo para transar com o seu namorado, mas se fizer isso sem querer vai acabar sendo muito ruim.

— Tem razão... acho que o Kai também não vai querer isso por enquanto.

— Viu? Vocês dois têm que ir com calma... e saiba que nenhuma primeira vez é boa de verdade.

— Isso não é um bom incentivo.

— Não é para ser, minha tarefa é só mandar você se proteger... eu esqueci com a sua mãe e olha o que aconteceu. — apontou para o filho e a expressão dele se tornou incrédula.

— Pai!

— Filho!

— Eu não vou ter um filho!

— Eu dizia a mesma coisa e agora tenho três. — riu alto quando ele fez careta de novo e beijou seu rosto. — Mas sério, é para não acabar tendo alguma doença.

— Eu sei. — deitou o rosto em seu peito e suspirou.

[ . . . ]

Aquele dia estava sendo muito bom, o céu bem azul e clima fresco cheio de sol e vento, na escola as coisas estavam indo muito bem e tudo parecia realmente perfeito. Já naquela manhã estava tudo tão calmo eles resolveram fazer um piquenique no jardim, SoYoon e ChangBin chamaram seus namorados e o Kim insistiu sem parar que o mais velho convidasse a amiga dele, e assim teve que fazer. Nenhum de seus pais estava em casa naquele dia então não ficariam com eles, mas poderiam fazer todos juntos outro dia.

— O dia está tão bonito. — o baixinho murmurou se espreguiçando e Kai colocou uma uva entre seus lábios, dando um beijo em sua nuca.

Chan serviu suco para Jane e ela agradeceu, assim como Kai não estava falando muito pela timidez de estar com pessoas que não conhecia, estavam tentando conversar, mas era meio incômodo.

— Tem uma coisa que quero perguntar... — a Hwang disse de repente, ganhando a atenção de todos e eles fizeram sinais para que falasse. — JiYeon, como vocês se conheceram? Você não é da nossa escola e nem lá o Chan tem amigos...

— Vocês amam dizer que eu não tenho amigos, eu... me dou bem com todo mundo.

— Isso não é ter amigos... você não me respondeu.

— Marrenta. Não tem como esconder as coisas de você mesmo. — Jane ergueu um olhar assustado para o mais velho, tanto esforço para que sua família não descobrisse e ele contaria tudo assim? — A Jane mora no orfanato que eu morava antes do papai me adotar.

— O que? — seus dois irmãos estavam com olhares confusos e assustados.

— Eu fui visitar lá um dia e a gente se conheceu.

— É... é v-verdade. — a garota concordou, não era em todo mentira, mas o Yang estava mesmo criando uma bola de neve com mentiras.

— Então... você não foi adotada ainda? — HyoJung indagou curiosa e a viu assentir. — Sinto muito...

— Não sinta, todos que ouvem isso sentem dó de mim... mas não é grande coisa, eu não preciso de uma família. — esmagou uma fruta entre os dentes e todos ficaram em silêncio.

— Eu não sei o que eu seria sem a minha família... — ChangBin disse e a loira ergueu o olhar surpreso. — Eles são... tudo para mim, sem eles eu não saberia o que fazer, você... é tão forte, Jane, eu quero ser assim também.

— Forte?

— Sim, você parece tão segura e determinada... tenho até medo de quem eu sou e de ficar sozinho, queria me sentir bem assim igual você faz... parece que qualquer lugar que eu piso vai desmoronar. — riu e segurou os braços do Kang, seus olhos se fechando com o sol esquentando seu rosto. — A SoYoon... e você são meus exemplos agora, eu quero ser forte igual vocês.

As duas se olharam e estavam sem palavras para responder tudo o que ele disse, ser o exemplo de alguém sem intensão era uma sensação muito estranha.

— Ei, Binnie, está com sono? — o mais velho se ergueu e estendeu as mãos a ele.

— Quero ficar com vocês.

— Depois a gente fica juntos, uh? Vamos para cama. — ele se ergueu e o irmão o levou para dentro.

Tudo continuou de forma perturbadoramente quieta, eles comendo e sem se olhar.

— O que o Chan disse é verdade? — SoYoon indagou com a voz baixa e recebeu a atenção dos três.

— Sobre a gente ter se conhecido no orfanato? Sim... a gente se conheceu lá.

— E você não sabe de mais nada? Parece tanto que ele está escondendo algo, você não sabe o que é? — ela parecia preocupada e triste, aquilo lhe deu uma vontade imensa de contar tudo, mas o segredo não era seu.

— Eu não sei de nada, não acho que ele esconderia algo dos irmãozinhos dele. — suspirou, desviando o olhar e ela balançou a cabeça.

— Tenho medo de que algo machuque eles... e eu não consiga fazer nada de novo, eu tenho que continuar sendo o exemplo do ChangBin.

— Amor... não se sobrecarregue, ChangBin vai te achar forte mesmo que não consiga fazer um campo de força em volta deles. — Lucy disse a abraçando e beijou seu rosto com carinho.

— Eu não consegui proteger ele aquela vez e nem minha mãe, vou proteger eles de tudo que eu posso agora, eu não aguentaria achar que perdi o Bin de novo.

Latest Posts

Article information

Author: Margart Wisoky

Last Updated: 08/25/2022

Views: 5710

Rating: 4.8 / 5 (58 voted)

Reviews: 89% of readers found this page helpful

Author information

Name: Margart Wisoky

Birthday: 1993-05-13

Address: 2113 Abernathy Knoll, New Tamerafurt, CT 66893-2169

Phone: +25815234346805

Job: Central Developer

Hobby: Machining, Pottery, Rafting, Cosplaying, Jogging, Taekwondo, Scouting

Introduction: My name is Margart Wisoky, I am a gorgeous, shiny, successful, beautiful, adventurous, excited, pleasant person who loves writing and wants to share my knowledge and understanding with you.